quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

PARA REFLEXÃO - OPORTUNIDADE E DESAZO

Queixas-te, amargurado, ante os problemas que se sucedem, considerando não teres sido aquinhoado com ensejos de ventura e triunfo de que outros se beneficiam. As tuas hão sido lutas sem quartel, provocadoras de desatinos que te estiolam os propósitos de enobrecimento. 

Os dias se sucedem cansativos debilitando as tuas fibras morais de tal modo que, mesmo emulado a uma salutar reação não te dispões concretá-la. Paisagens cinzas, agitadas pelas tormentas desanimadoras constituem os horizontes do teu caminho. Desaires e pessimismo são os estados dalma que assinalam a marcha. 

Outrora sonhavas; agora defrontas pesadelos. 
Antes crias; ora te açoitam as dúvidas. 
A princípio sorrias; depois sulcaste a face coma dureza de expressão. 
Ontem o entusiasmo te esflorava as aspirações; hoje a visão da esperança recobre-se de amargura. 

Atabalhoado com os resultados a que chegas, estás sem rumo e interrogas: "Que fazer?" 
Só há uma opção: seguir adiante, colocando o sol d'alegria na penumbra das dores. 

Nem tudo, porém, aconteceu, conforme te parece. Erras no conceito com que interpretas a vida, como te equivocaste nas atitudes assumidas. Ideal e ação, palavra e vida são situações mui diversas. Imperioso discernir com lucidez para acertar com segurança. 

Quando as concessões da juventude te exornavam o corpo, assumiste compromissos perniciosos e gastaste as energias no jogo ilusório do prazer imediato. Nos períodos de paz esqueceste da elaboração de um programa de trabalho primoroso, entregando-te ao repouso, desconcertante. 

Às aquisições significativas em formas de amizades, afeições, estudo, meditação, operosidade cristã, intercâmbio fraterno, preferiste outros valores... Natural que defrontes o vazio refertando o íntimo e as dificuldades tornando-se impedimentos por fora. 

Expulsa a nuvem da queixa e oferta-te a bênção lenificadora de um ponderado reexame com nova disposição. Sempre é hoje, o momento precioso para um recomeço santificando, assim, as horas que ainda terás. Não o proteles, arrimado à cruz inútil da autocomiseração. 

A oportunidade perdida, mesmo quando se repete, já não são as mesmas as circunstâncias e condições... 

Era uma voz e um exemplo. Palavras felizes e atitudes superiores. Idealismo abrasante e dedicação integral. Amor insuperável e dever imperioso. Com essas insígnias Jesus mudou as rotas do pensamento humano; não obstante sofreu as mais pérfidas humilhações que culminaram numa cruz de desprezo que Ele santificou e num tumulto vazio, como portal de incomparável liberdade para todos nós. 


Franco, Divaldo Pereira. 
Da obra: Celeiro de Bênçãos. 
Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails

IMAGENS DE TUPARETAMA