domingo, 16 de fevereiro de 2014

MENSAGENS ESPÍRITAS . ENVIE UM CARTÃO PARA ALGUEM ESPECIAL





DIFERENTES CATEGORIAS DE MUNDOS HABITADOS

Do ensino dado pelos Espíritos, resulta que muito diferentes umas das outras são as condições dos mundos, quanto ao grau de adiantamento ou de inferioridade dos seus habitantes. 

Entre eles há-os em que estes últimos são ainda inferiores aos da Terra, física e moralmente; outros, da mesma categoria que o nosso; e outros que lhe são mais ou menos superiores a todos os respeitos. 

Nos mundos inferiores, a existência é toda material, reinam soberanas as paixões, sendo quase nula a vida moral. A medida que esta se desenvolve, diminui a influência da matéria, de tal maneira que, nos mundos mais adiantados, a vida é, por assim dizer, toda espiritual. 

Nos mundos intermédios, misturam-se o bem e o mal, predominando um ou outro, segundo o grau de adiantamento da maioria dos que os habitam. Embora se não possa fazer, dos diversos mundos, uma classificação absoluta, pode-se contudo, em virtude do estado em que se acham e da destinação que trazem, tomando por base os matizes mais salientes, dividi-los, de modo geral, como segue: 
  • mundos primitivos, destinados às primeiras encarnações da alma humana; 
  • mundos de expiação e provas, onde domina o mal; 
  • mundos de regeneração, nos quais as almas que ainda têm o que expiar haurem novas forças, repousando das fadigas da luta; 
  • mundos ditosos, onde o bem sobrepuja o mal; 
  • mundos celestes ou divinos, habitações de Espíritos depurados, onde exclusivamente reina o bem. 

A Terra pertence à categoria dos mundos de expiação e provas, razão por que aí vive o homem a braços com tantas misérias. Os Espíritos que encarnam em um mundo não se acham a ele presos indefinidamente, nem nele atravessam todas as fases do progresso que lhes cumpre realizar, para atingir a perfeição. 

Quando, em um mundo, eles alcançam o grau de adiantamento que esse mundo comporta, passam para outro mais adiantado, e assim por diante, até que cheguem ao estado de puros Espíritos. São outras tantas estações, em cada uma das quais se lhes deparam elementos de progresso apropriados ao adiantamento que já conquistaram. 

É-lhes uma recompensa ascenderem a um mundo de ordem mais elevada, como é um castigo o prolongarem a sua permanência em um mundo desgraçado, ou serem um relegados para outro ainda mais infeliz do que aquele a que se vêem  impedidos de voltar quando se obstinaram mal. 

Allan Kardec
Da obra: O Evangelho Segundo o Espiritismo.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

PARE PARA VER, OUVIR E ENRIQUECER SEU ESPÍRITO: DUAS PALESTRAS ESPÍRITAS

"Uma lição para não ser esquecida", palestra com a oradora Ana Jaicy Guimarães (Rio de Janeiro) realizada no dia 24 de setembro de 2011 na Sociedade Espírita Allan Kardec na cidade de Jales-SP
SOBRE MEDIUNIDADE - Palestra de Anete Guimarães proferida em agosto de 2011 na 7ª Semana Espírita em Vila Velha.

PARA REFLEXÃO - OPORTUNIDADE E DESAZO

Queixas-te, amargurado, ante os problemas que se sucedem, considerando não teres sido aquinhoado com ensejos de ventura e triunfo de que outros se beneficiam. As tuas hão sido lutas sem quartel, provocadoras de desatinos que te estiolam os propósitos de enobrecimento. 

Os dias se sucedem cansativos debilitando as tuas fibras morais de tal modo que, mesmo emulado a uma salutar reação não te dispões concretá-la. Paisagens cinzas, agitadas pelas tormentas desanimadoras constituem os horizontes do teu caminho. Desaires e pessimismo são os estados dalma que assinalam a marcha. 

Outrora sonhavas; agora defrontas pesadelos. 
Antes crias; ora te açoitam as dúvidas. 
A princípio sorrias; depois sulcaste a face coma dureza de expressão. 
Ontem o entusiasmo te esflorava as aspirações; hoje a visão da esperança recobre-se de amargura. 

Atabalhoado com os resultados a que chegas, estás sem rumo e interrogas: "Que fazer?" 
Só há uma opção: seguir adiante, colocando o sol d'alegria na penumbra das dores. 

Nem tudo, porém, aconteceu, conforme te parece. Erras no conceito com que interpretas a vida, como te equivocaste nas atitudes assumidas. Ideal e ação, palavra e vida são situações mui diversas. Imperioso discernir com lucidez para acertar com segurança. 

Quando as concessões da juventude te exornavam o corpo, assumiste compromissos perniciosos e gastaste as energias no jogo ilusório do prazer imediato. Nos períodos de paz esqueceste da elaboração de um programa de trabalho primoroso, entregando-te ao repouso, desconcertante. 

Às aquisições significativas em formas de amizades, afeições, estudo, meditação, operosidade cristã, intercâmbio fraterno, preferiste outros valores... Natural que defrontes o vazio refertando o íntimo e as dificuldades tornando-se impedimentos por fora. 

Expulsa a nuvem da queixa e oferta-te a bênção lenificadora de um ponderado reexame com nova disposição. Sempre é hoje, o momento precioso para um recomeço santificando, assim, as horas que ainda terás. Não o proteles, arrimado à cruz inútil da autocomiseração. 

A oportunidade perdida, mesmo quando se repete, já não são as mesmas as circunstâncias e condições... 

Era uma voz e um exemplo. Palavras felizes e atitudes superiores. Idealismo abrasante e dedicação integral. Amor insuperável e dever imperioso. Com essas insígnias Jesus mudou as rotas do pensamento humano; não obstante sofreu as mais pérfidas humilhações que culminaram numa cruz de desprezo que Ele santificou e num tumulto vazio, como portal de incomparável liberdade para todos nós. 


Franco, Divaldo Pereira. 
Da obra: Celeiro de Bênçãos. 
Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis
Related Posts with Thumbnails

IMAGENS DE TUPARETAMA